Olyng

Dicas e Estratégias de Marketing Digital

O que há de novo na pesquisa de imagens do Google?
Noticias & Novidades

O que há de novo na pesquisa de imagens do Google?

Ao longos anos, diversas atualizações foram feitas nos algorítimos de pesquisa, principalmente na maneira como os resultados de imagens eram organizados pelo Google Images.

No dia 1 de abril de 2020, o canal Google Webmasters fez o upload de um vídeo de apresentação ministrado por Francois Spies, gerente de produto da Google Images, que aconteceu durante a conferência da Google para webmasters chamada WMConf MTV ’19, em novembro de 2019.

A apresentação comenta sobre as alterações que aconteceram nos resultados de pesquisa de imagens ao longo dos anos, além apresentar algumas técnicas interessantes de SEO para imagens.

Em seu canal do Youtube, a Google Webmasters, fez o upload de diversos lotes de vídeos relacionados a conferência daquele ano para aqueles que não puderam comparecer ao evento.

O que iremos ver nesta notícia?

As diferenças de comportamento de busca no Google Images

A apresentação de Francois Spies, começa com uma breve comparação diferenciando a forma como as pessoas pesquisam no Google Search, com aquelas que o fazem por meio do Google Images.

Um dado interessante que foi levantado, é que as pessoas que usam o Google Images para fazer pesquisas, não só estão em busca de imagens, mas como também estão a procura de maneiras mais rápida de resolver um problemas do mundo real.

Isso quer dizer que a maioria das buscas feitas por lá, geralmente são de pessoas que buscam inspiração, ícones, ideias de design, detalhes de um produto e assim por diante.

Quer um exemplo? Se você tivesse que fazer um barco de origami, em qual categoria de pesquisa você iria?

Acredito que a maioria das pessoas recorreriam ao Google Images em busca do barco de origami, porque se você for parar para pensar, as pessoas que buscam por esse termo, buscam por uma solução mais visual e não textual.

Nesse caso, não valeria muito a pena perder tempo indo buscar por esse termo no busca comum, clicar no resultado, esperar a página abrir, e por fim, ler o conteúdo da página para depois começar a montar.

Até porque, no caso de origamis é muito mais fácil encontrar a resposta indo direto pelo Google Images.

No caso do resultado abaixo você não precisa nem abrir a imagem para começar a montar seu barco de papel 😅

exemplo de barco de origami no google images

Sendo assim, a pesquisa de imagens funciona como uma ferramenta que ajuda o cérebro das pessoas a processar informações mais rapidamente, do que faze-las ler uma página da web em busca de uma solução.

A evolução dos resultados de imagens ao longo dos anos

Seguindo o roteiro da apresentação, há dois anos atrás os resultados de imagens eram completamente diferente daquilo que vemos hoje.

A imagem abaixo mostra a pesquisa de imagens para o termo “Crianças no balanço de pneu”:

Exemplo de pesquisa no Google Images para o termo crianças no balanço de pneu

Como podemos notar, o Google nos retornava imagens sem contexto que dificultava ainda mais a navegabilidade dos usuários, ou seja, imagens separadas e sem legendas, aonde não davam nenhuma ideia sobre o conteúdo que existia por trás daquela imagem.

Com o passar dos anos, o Google Images melhorou e muito a forma como esses resultados eram apresentados para nós.

Agora as imagens tinham espaçamento adequado e com muito mais contexto, contendo trechos do conteúdo que descriam aquela imagem, bem como a URL em que ela pertencia.

Exemplo dos resultados de pesquisa para o termo cachorro

Com isso, os usuários conseguem identificar de maneira mais fácil, que tipo de resultado é mais relevante para ele.

Ao longo dos últimos anos, o Google começou a classificar e dar ranqueamento para as imagens em que ele indexava, o que ajudou seus usuários a identificar que tipos de conteúdos poderiam existir por trás delas.

Um exemplo disso é quando um usuário pesquisa pelo termo “Cachorro”, mas que na verdade, está em busca de um plano de fundo de cachorro para seu celular.

Ora, se aquele usuário está em busca de imagens de cachorros e se depara com uma imagem cuja legenda diz que aquela página contém diversas fotos de cachorros, é bem provável que ele clique ali.

Perante a essa oportunidade, o Google introduziu dados estruturados na pesquisa de imagens e vídeos.

Os dados estruturados são pequenos parâmetros que o administrador do site pode inserir em cada imagem da página, visando uma melhor indexação por parte dos buscadores.

Como nós já sabemos, o Google ainda não consegue interpretar com total perfeição o significado daquela imagem, dessa forma, os dados estruturados ajudam-o a entender do que se trata.

Um exemplo de dado estruturado é a tag alt, que é um texto alternativo que ajuda os buscadores a entender o contexto daquela imagem.

As informações existentes nos dados estruturados costumam ser exibidas para os usuários assim quando eles abrem uma visualização maior daquela imagem.

As atualizações do Google Images nos últimos meses

Ainda de acordo com a apresentação de Francois Spies, a pesquisa de imagens sofreu diversas atualizações em seu back-end nos últimos meses.

Google Imagens no Computador: Agora os resultados de imagens para desktop seguem o mesmo layout, e tem os mesmos recursos da versão para celular.

Google Imagens no Celular: A forma como as imagens eram mostradas sofreu uma repaginada, ganhando um botão que leva direto para a página do site (“Visitar”) e outro para compartilhar aquela foto.

Funcionalidades para páginas AMP: Caso a página possua uma versão AMP, os usuários poderão deslizar a foto pra cima, a afim de visualizar o conteúdo daquela página.

Dicas de otimização para a pesquisa de imagens

Ao final da apresentação, o Google aborda algumas dicas de otimização de imagens que podem ser aplicadas pelos webmasters.

  • Faça o bom uso dos dados estruturados em cada imagem existente na sua página (Especialmente em fotos de produtos, receitas, infográficos e até vídeos);
  • Adicione títulos, descrições e use nomes de arquivos que contenham a palavra-chave, ou que exemplifique o contexto da imagem;
  • Use imagens otimizadas com alta qualidade;
  • Sempre coloque suas imagens ao lado do texto em que elas se referem;

Acompanhe a apresentação de Francois Spies abaixo:

Escrito por William Lima - 13 de abril de 2020 - 20 Views

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of