Olyng

Dicas e Estratégias de Marketing Digital

O que é uma Landing Page e como usa-la para alavancar o seu negócio
Landing Pages

O que é uma Landing Page e como usa-la para alavancar o seu negócio

Landing Pages, também são conhecidas como páginas de conversão ou páginas de aterrissagem, representam uma das melhores estratégias no marketing digital voltadas a conversão de visitantes (curiosos que chegam até a sua página) em clientes/leads (curiosos que agora compram de você).

Pois além de capturar o interesse deles, estas páginas são capazes de aumentar as chances do seu visitante se tornar um possível cliente da sua empresa – e comprar um de seus produtos ou serviços.

Gostou da introdução desse artigo? Ele conseguiu capturar o seu interesse?

Se sim, é assim que uma landing page deve ser, e neste artigo eu vou te ensinar não só sobre o que vem a ser uma landing page, mas todas as dicas para se criar uma landing page de sucesso 😉

O que iremos aprender hoje?

O que é uma landing page?

O termo Landing Page vem do inglês – Como a maioria dos termos encontrados em marketing – Landing significa “aterrissagem”, e Page significa “Página”, juntando esses dois termos temos a tradução de “Página de Aterrisagem”.

Que como o nome já diz, é aquele tipo de página feita especialmente para aqueles que quando “aterrissarem” nela, terem somente a opção de executar uma única ação, que é se converter e nada mais.

De uma certa forma, o termo “Página de Aterrisagem” é muito abrangente, pois se colocarmos ao pé da letra, qualquer usuário que encontrar uma de nossas páginas, seja pelo Google, redes sociais, através de um e-mail, links em outro sites ou resolver digitar a url no navegador, esta será a página de aterrisagem, pois esse usuário “aterrissará” dentro dela.

Por isso que quando se trata de Landing Pages, a maioria dos profissionais preferem traduzi-las como “Páginas de Conversão” ou “Páginas de Destino”, pois faz jus ao seu objetivo principal que é a conversão.

Imagine por um momento uma página simples que fale somente de um único assunto em especifico, ao mesmo tempo que só exista uma única ação disponível para ser feita, que seria deixar o seu e-mail de contato. E é isso que define uma Landing Page.

Talvez você já tenha se deparado com uma página assim algum dia, mas se essa é a sua primeira vez em que você estiver ouvindo falar sobre elas, eu trouxe alguns exemplos.

A Olyng por exemplo, possui uma Landing Page que foi criada especificamente para ofertar um dos nossos cursos de SEO.

Imagem da Landing Page do curso gratuito da Olyng.com

Apesar da Olyng oferecer outros serviços como é o caso das ferramentas de automação de marketing. A proposta dessa landing page é falar especificamente do curso e nada mais, visando é claro, que o meu visitante se converta e se torne um de meus alunos – ou seja, clique naquele botãozinho chamado “Começar agora”.

Um outro exemplo de Landing Pages que também foi feita na própria Olyng por um de nossos clientes, é a página da plataforma de mineração de criptomoedas.

Imagem da Landing Page da Credminer, hospedada na Olyng.com

Se você perceber a página fala somente de um único assunto em especifico (plataforma de mineração compartilhada), todo o conteúdo serve para explicar a proposta do assunto principal e todos os links e botões, levam o usuário a executar uma única ação, que é enviar seus próprios dados no formulário de contato.

Como acabamos de ver, a proposta de uma Landing Page é bem simples de ser entendida, basicamente você precisa fazer com que o seu visitante cumpra uma ação determinada, que pode ser desde um clique de um botão, deixar seu próprio contato ou fazer download de algo.

E quanto menos distrações e alternativas esse usuário se deparar na sua página (Links que levam a páginas diferentes), maiores serão as chances desse seu usuário se converter – até porque ele não vai ter muito para onde correr.

Mas ai você pode estar se perguntando: “Mas qual seria a diferença entre uma landing page e uma página normal?”.

E a resposta para esta pergunta, é a que veremos a seguir.

Landing Pages vs Web Pages: Quais suas diferenças?

Uma landing page como vimos anteriormente, nada mais é do que uma página normal, a única diferença é que ela tem um proposito muito especifico, que pode ser o download de um e-book, um formulário de inscrição, formulário para coletar dados dos seus visitantes ou a venda de um produto especifico.

O ponto principal que diferencia uma landing page de uma página normal (web pages), é que as landing pages costumam ser mais simplificadas e sem distrações.

Já as páginas normais – também conhecidas como Web Pages –, costumam fazer parte de um grande site, e apesar delas possuírem características em comum (Foto, Texto, Título e afins), páginas normais costumam dar mais opções de navegação para os seus visitantes.

Como vimos anteriormente na Landing Page do curso de SEO da própria Olyng, lá você viu que o único objetivo daquela página era ofertar o curso, afim de torna-los meus alunos e nada mais. Neste caso, toda a comunicação utilizada na página, foi formatada de uma maneira simples e sem muitas distrações.

Ainda tomando a Olyng como exemplo, veremos agora a nossa Homepage.

Imagem da página inicial da Olyng.com

Aqui, o objetivo da nossa página principal é educar o visitante, e mostrar para eles todos os nossos produtos e serviços que oferecemos.

Apesar da comunicação ter sido feita de uma maneira simples, nessa página você pode encontrar diversas “distrações”, que seriam os links que levam você para outras páginas que contém mais informações sobre a plataforma.

Como é o caso de links que levam diretamente para o meu blog, área de suporte, marketplace e etc.

Mas isso não quer dizer que uma landing page não possa ter um menu de navegação, ela até pode, desde de que os links levem o usuário para a mesma página de onde ele está.

Sabe aqueles links que você clica a página desce até o assunto em questão (realizando uma rolagem)? Então são esses links que são permitidos.

Nesse caso, uma página normal representa um objetivo mais amplo ou múltiplos objetivos, já as landing pages representam objetivos únicos e específicos.

Quando eu devo usar uma Landing Page?

Eu separei para você uma pequena lista que vai te ajudar a saber se você deve investir na criação de uma landing page ou não:

É recomendável que você crie uma landing page quando…

  • Você quer focar em vender um único produto ou serviço;
  • Você quer fazer crescer a sua lista de e-mails, oferecendo um e-book, arquivo, vídeo e afins;
  • Você quer fazer um sorteio, onde o objetivo é coletar nomes e e-mails dos seus usuários;
  • Você quer criar uma página de inscrição para um evento especifico;
  • Ou quando você quer ofertar um cupom e precisa que os seus usuários se inscrevam para ter acesso ao mesmo.

Sendo assim você deve usar uma landing page quando você quer que o seu público esteja 100% focado no objetivo (oferta) que foi proposto pela própria página (sem nenhuma distração).

Agora quando o seu objetivo é voltado para uma orientação de um novo usuário sobre os seus produtos, serviços, educar sobre o que vem a ser a sua empresa de uma maneira geral. Você costuma atuar com múltiplos propósitos, e nesse caso uma página normal é recomendável.

Por exemplo, se você estiver com a ideia de criar uma página aonde os seus visitantes possam entrar, se cadastrar e logar, é melhor deixar essas opções visíveis para eles, e nesse caso a criação de uma página normal vai te servir muito bem – até porque, neste caso, a sua página deixa de ser considerada uma landing page.

Entretanto, se o seu objetivo principal com a sua página é mantê-los focados em realizar apenas um único objetivo, como: se inscrever, fazer um download ou qualquer outra coisa do tipo. Acredito que qualquer outra distração como: Conheça nossos outros produtos, visite o nosso blog ou entre na sua conta, não será muito bem-vindo naquele momento, fazendo com que a proposta da sua página – em ser uma landing page – acabe virando uma web page.

Uma Landing Page é um complemento de um site?

Algumas pessoas costumam ficar em dúvidas se uma landing page, na verdade é um complemento de um site (web page).

E a resposta para este tipo de pergunta, é que uma landing page pode SIM atuar como um complemento de um site, uma vez que conforme vimos, uma landing page tem como objetivo fazer com que um determinado usuário realize uma conversão especifica, e em troca, receber a nossa oferta – Fazendo um download, pedido de consultoria, contato, inscrição em formulário etc. E esta conversão especifica pode estar atrelada a um determinado produto/serviço que você venda.

Por exemplo, vamos supor que você tenha uma loja virtual especializada na venda de smartphones. O seu site é o local aonde você vai divulgar todos os seus produtos, além de informar ao usuário sobre a sua empresa, área de login, carrinho de compras etc.

Se você desejar, você pode criar uma landing page, aonde tenha como objetivo principal, a oferta de um determinado smartphone – Samsung Galaxy S10 por exemplo.

Nesse caso, diferente do seu site (web page), seus usuários ficariam livres de distrações como:

  • Smartphones relacionados;
  • Smartphones mais vendidos;

E quanto menos distrações você dá ao seu usuário, menores serão as chances dele fazer outras escolhas.

“Se é assim, é muito mais vantajoso criar diversas landing pages para cada produto que eu vendo em vez de criar um site…”

Errado! Ter um site quanto uma landing page são coisas extremamente importantes para o seu negócio. O site é a casa do seu negócio, é o local que você diz para os seus usuários quem você é, e tudo o que você faz (ou deixa de fazer).

Já uma landing page é uma estratégia de marketing, cujo objetivo é focar na oferta de um produto ou serviço em especifico, visando é claro… a conversão de um usuário em um lead.

Qual o objetivo de uma Landing Page?

Uma coisa que temos que ter mente é que: uma landing page possui um objetivo e somente um único objetivo. E como vimos anteriormente em tópicos anteriores, o objetivo em geral costuma se resumir a uma conversão de um visitante em um lead.

De uma forma resumida a maioria das landing pages costumam ter os seguintes objetivos:

  • Registro para um Webinar
  • Inscrição para um Newsletter
  • Venda de um produto ou serviço em especifico
  • Download de E-books ou outros conteúdos.

Vamos imaginar por um momento que o seu objetivo seja capturar novos leads para aumentar a sua base de dados, e em troca, você oferece um novo e-book sobre marketing digital.

Nesta página, os seus visitantes não precisam saber sobre a sua marca, sobre os seus produtos ou os assuntos que você anda postando no seu blog, do contrário, os seus visitantes só precisam saber como devem baixar o e-book e nada mais.

No caso dos seus visitantes, eles só precisam saber de coisas relacionadas ao e-book, como: do que ele se trata e o por que ele deveria ler este e-book.

No exemplo desta landing page, a sua comunicação deve ser feita de uma maneira efetiva, exemplificando os seguintes pontos:

  • Proposta de valor do e-book;
  • Breve resumo do conteúdo existente dentro do e-book, e
  • Um call-to-action atrelado a um formulário para os seus visitantes deixem seus contatos em troca do e-book.

Exemplo de uma página cujo objetivo é o download de um e-book:

Exemplo de uma Landing Page cujo objetivo é a oferta de um e-book

A ideia de uma única proposta é o que diferencia uma landing page de uma página normal – que por sua vez conta com múltiplos objetivos diferentes.

Landing Pages e seu papel no Marketing Digital

Um dos principais objetivos do marketing digital está relacionado a geração de leads (clientes em potencial) através de práticas que são aplicadas no meio da publicidade.

Atualmente existem diversas maneiras de capturar seus visitantes para que posteriormente se transformem em leads, e uma dessas maneiras está relacionada com a criação de landing pages.

As landing pages por sua vez, são responsáveis por despertar o interesse dos visitantes, com o objetivo (é claro) de capturar os dados desses visitantes a fim de torna-los leads.

Podemos dizer então, que a criação de landing pages está intimamente relacionada com o marketing digital, uma vez que as landing pages, representam uma das formas de se conseguir trazer mais resultados para o seu negócio online.

Uma ótima forma para reduzir seus custos

Todos nós já sabemos – aprendemos isso neste post – que uma landing page possui um único objetivo em especifico, cuja meta é gerar resultados para o negócio.

Consequentemente, uma landing page costuma ter taxas de conversões de usuários um pouco mais altas do que páginas normais – Uma taxa de conversão de 5 a 10 vezes superior.

Isso porque, quando um determinado usuário entra em uma página normal ele costuma se deparar com diversas distrações, que podem ser desde outros produtos até outros links, e quanto mais distrações você apresenta para esse usuário, maiores são as chances dele levar em consideração diversos pontos antes de consumir a sua oferta.

E quanto mais pontos esse usuário levar em consideração, menores são as chances de ele consumir a sua oferta.

Rapazinho em dúvida com tantas e tantas outras ofertas

Agora imagina por um momento que você está fazendo uma campanha da sua página inicial (uma página normal) no Google Adwords, e que você esteja investindo pesado nisso.

Daí no final da campanha, você acaba descobrindo que de 200 visitantes que acessaram a sua página, apenas 12 consumiram a sua oferta – que pode ser desde a compra de um produto, download de um e-book e afins –, ou seja, a sua taxa de conversão é de 6%.

6% é uma taxa de conversão um pouco baixa – para não dizer muito baixa –, e uma das formas de melhorar a sua taxa de conversão, seria apostando na criação de landing pages, pois como visto anteriormente elas não distraem o seu usuário, além de possuírem uma taxa de 5% a 10% superior a uma página normal. Com isso você pode gerar mais conversões com o mesmo valor de investimento, e no final, conseguir mais leads para a sua base dados.

Os 5 elementos essenciais que compõe uma Landing Page

Até agora nos vimos a importância de uma landing page no marketing digital e como ela pode ajudar o seu negócio a crescer.

Mas existem 5 elementos essenciais que estão presentes em todas as landing pages – ou que pelo menos deveriam estar presentes.

São eles:

  • Proposta única de venda,
  • Um ou vários benefícios,
  • Uma única Oferta,
  • Chamada para ação (Call-to-action) e
  • Prova social

Veremos cada um deles com mais detalhes a seguir.

Proposta única de venda

Sabe aquele momento quando você chega em uma determinada página, lê uma notícia ou se depara com uma oferta irresistível, que você para e pensa: “Nossa, que oferta interessante” ou “É exatamente disso que estou precisando…”, então… é assim que seus visitantes devem se sentir quando acessarem uma de suas Landing Pages.

Para que isso seja possível e você consiga despertar este tipo de interesse em cada um de seus visitantes, a sua mensagem deve ser transmitida de uma maneira simples, clara e direta – como um laser apontado para a direção certa.

Filho do homer simpsons atirando com uma arma laser de brinquedo

E não há maneira melhor de começar criando a sua proposta de vendas com um título e subtítulo bem formatados.

Título e Subtítulo

O título dá página é a primeira coisa que os seus visitantes irão notar quando caírem de paraquedas na sua Landing Page.

Não é à toa que muitos profissionais de marketing e redatores, tendem a investir um bom tempo na elaboração de um bom título, que não seja só capaz de informar o visitante, mas também, para mantê-los na página tempo suficiente para que estes tomem uma determinada ação.

Um fator importante – que é bem obvio por sinal -, é que o conteúdo da sua landing page deve ter uma relação com o anuncio ou o e-mail em que o seu visitante usou para chegar até a sua página.

Nesse caso, se você tem um anuncio com o seguinte título: “Ganhe uma promoção de até 20% de desconto no produto tal”, a sua página de destino deve conter o mesmo título, ou um título que tenha uma relação bem próxima com o título do anuncio anterior, como por exemplo:

  • Ganhe 20% de desconto no Produto Tal;
  • Resgate seu cupom de 20% no Produto Tal;

Já o subtítulo, também conhecido como “Título de apoio”, funciona como uma extensão direta do título, servindo para dar informações extras sobre o tipo de proposta de valor que a página está oferecendo (mais ênfase também).

Então se em um primeiro momento, seu visitante gostou da chamada do seu anuncio, acessou a sua página, leu o seu título e mesmo assim não ficou totalmente engajado com a sua proposta, é pelo subtítulo que você terá mais uma chance de estimular o interesse dele a aderir a sua proposta – muitas vezes você pode fazer o uso de uma mensagem persuasiva.

Se você ainda não se convenceu de que o título é a parte fundamental e mais importante de uma Landing Page, saiba que uma pesquisa recente divulgada pela CopyBlogger, diz que a cada 10 pessoas que chegam a uma página, apenas 8 irão ler o seu título, e somente 2 em cada 10 irão ler o restante da página.

E o que isso quer dizer?

Quer dizer que a maioria das pessoas que caem em uma Landing Page ou qualquer outra página, elas já tomam suas próprias decisões somente ao ler o título (no máximo o subtítulo), e que após isso, elas já vão em busca do formulário para pegar recompensa, ignorando todas as outras informações existente na página.

E digo isso por experiência própria, certo vez eu estava a procura de uma planilha de controle de gastos, quando de repente eu me vi dentro de uma página de captura (Landing Page), me recordo que eu simplesmente ignorei todas as mensagens e benefícios referentes a tal planilha, no máximo eu analisei as fotos da planilha para me certificar que ela iria resolver o meu problema, e fui direto preenchendo minhas informações para fazer o download da mesma.

Mas isso não quer dizer que você não deve dar total atenção aos outros elementos da sua landing page, muito pelo contrário, eles também são importante e fazem parte de um conjunto maior.

Benefícios da sua Oferta

Em qualquer landing page, além do título, devemos inserir informações relevantes sobre a oferta que estamos querendo oferecer para o nosso usuário, e é neste ponto que descreve a sua oferta como um todo, comunicando os benefícios e os recursos.

Para te ajudar a montar os benefícios da sua oferta, pergunte a si mesmo: “O que meus clientes em potencial precisam?” e após isso, anote todas as possíveis soluções para esta pergunta.

Por exemplo, um dos benefícios daqueles robôs aspiradores de pó, que basta coloca-lo no chão e ele já sai limpando a cada inteira, seria: “economia de horas por semana limpando a casa para você”, ao contrario de um recurso como “Limpar Casa”.

Representação de um aspirador de pó robô, só que tem um filhote de labrador em cima dele

É importante ressaltar que todo cliente, toda persona (caso você tenha criado uma) tem uma dor que precisa ser solucionada. Nesse caso, os benefícios que você vai transmitir ao seu cliente devem estar diretamente ligadas a dor sentida por eles (Personas), que por sua vez estão buscando aquilo que a sua oferta está oferecendo.

O objetivo deste elemento, é você fazer com que os benefícios do seu produto ou do seu serviço, descreva o problema que você está resolvendo, eliminando também possíveis dúvidas que eles possuem referentes a oferta que você está oferecendo.

Separamos para você algumas dicas que podem ser usadas quando você estiver montando os benefícios da sua própria oferta:

  • Use marcadores (Também chamados de Bullet Points) são uma ótima maneira de organizar os benefícios oferecidos;
  • Opte por frases ou sentenças curtas, pois facilita a leitura dos seus clientes;
  • Termos relevantes e que tenham importância para seus clientes devem ser ficar em negrito;
  • Ofereça no mínimo 3 a 4 benefícios importantes para colocar na sua página;
  • Prefira falar sobre benefícios do que falar sobre recursos (Lembre-se do exemplo do robô aspirador de pó).

Sua Oferta

Este é o momento de explicar para os seus clientes de uma maneira descritiva e precisa, o que está sendo ofertado a eles, e as etapas que eles precisam seguir para obter a sua oferta.

O esqueleto de uma oferta ideal, deve ser montando pensando na resposta dessas 3 perguntas:

Pergunta 1) O que exatamente está sendo ofertado?

A resposta dessa pergunta esta intimamente relacionada com o título da página.

Tomando como exemplo uma página com o título: “Ganhe 45% de desconto em toda loja”, a sua oferta é um desconto de 45% que será usado em toda loja.

Se por acaso, a resposta dessa pergunta apontar a existência de mais de uma única oferta, você deve repensar os conceitos e reformular a sua Landing Page – Lembre-se que uma Landing Page deve ter uma proposta única de venda.

Existem casos em que você pode querer ofertar um conjunto de outras ofertas dentro de uma única oferta, como ainda é o caso do “Ganhe 45% de desconto em toda loja”, apesar de 45% de desconto ser a oferta principal, toda loja é um termo muito amplo.

Até porque, as vezes a sua loja pode vender mais de uma categoria de produtos ou serviços, como por exemplo: Celulares, Moveis, Alimentação e outros.

Mas mesmo nesse tipo de caso – que não está errado –, a oferta apesar de ser ampla, ainda remete a uma única proposta especifica.

Um erro comum nesses casos é você usar “Ganhe 45% de desconto na categoria de eletrodomésticos e 20% na categoria de informática”.

Observe como existem duas ofertas inseridas em uma mesma página (desconto na categoria de eletrodomésticos e desconto na categoria de informática), além de poder confundir o seu cliente, você pode acabar agrupando clientes de nichos diferentes dentro de uma mesma categoria.

E o que isso implica?

Implica que na hora de enviar uma nova oferta para esse cliente (Oferta da categoria de informática, por exemplo), o tipo de oferta não o agrade, uma vez que o possível cliente que caiu na sua lista de leads, as vezes, ele só estava interessado no cupom de eletrodomésticos, e não liga muito para artigos de informática – O que faz com que a sua mensagem seja em vão.

Pergunta 2) Quais são os passos envolvidos para se obter a oferta?

Pense no que o seu cliente precisa fazer para conseguir a oferta, será que ele precisa preencher um formulário? Se sim, quais campos ele precisa informar. Curtir uma página do facebook? Passar por um puzzle? Responder a um questionário? Assistir a um vídeo até o final? O que ele precisa fazer para receber a sua oferta?

Lembre-se que quanto mais passos você criar, maior será a sua taxa de abandono.

Pergunta 3) O que vai acontecer a seguir?

Depois que eu fizer o ultimo passo, o que vai acontecer depois? Vou ter que abrir meu e-mail para acessar a oferta? Vou ter que clicar em um botão de download? O download da oferta se iniciará automaticamente? O que vão fazer com meus dados que coloquei no formulário? Vou ser redirecionado para uma página de agradecimento?

Evite vender demais a sua oferta

Um ponto que você deve tomar bastante cuidado quando for fazer a sua oferta, é evitar vender demais, fazendo com que os seus clientes percebam que a sua oferta é muito melhor do que eles realmente recebem.

Na maioria dos casos, isso pode causar uma certa desconfiança logo de inicio e a longo prazo, fazendo com que na maioria das vezes, os seus usuários pensem: “Nossa, está muito bom para ser verdade”.

Chamada para ação

Este termo ele é autoexplicativo: você deve criar uma chamada que pode ser um botão, ou um link para que o seu cliente execute uma ação. A ação que ele tem que executar para receber a sua oferta.

Também conhecido como Call-To-Action (CTA), ele é um dos pontos essenciais e mais importantes que devem existir em uma landing page, pois será a partir dele que o seu visitante irá se converter.

Então quanto melhor for a sua chamada para a ação, quanto mais a sua chamada for apelativa o suficiente para fazer com que seus clientes cliquem nela, maiores serão as chances de você conseguir uma nova conversão – Mas também não precisa exagerar, a ideia é que você mantenha a sua chamada para ação focada e relevante o suficiente para aquilo que você está ofertando.

Você pode criar o seu próprio CTA terminando esta frase:

Eu quero _____________ (Exemplos: Ganhar um desconto; Baixar o E-book; Assistir o vídeo; Ter acesso ao cupom; Entrar na lista de espera;).

Senso de Urgência

Uma das técnicas que é capaz de fazer com que muitos clientes executem uma determinada ação em um curto período de tempo (sem pensar muito, e muitas das vezes sem deixar para depois), é criar um senso de urgência.

Muitos profissionais de marketing sabem disso e usa esta técnica para fazer com que seus clientes tomem decisões mais rapidamente.

Basicamente este tipo de estratégia inclui em sua maioria das vezes a criação de um cronometro que mostra o tempo que falta para uma oferta expirar.

A Udemy por exemplo, que é a plataforma que usamos para hospedar os nossos cursos e treinamentos online, costuma utilizar bastante esta técnica:

Exemplo de desconto na Udemy

Prova Social

Quem nunca antes de finalizar a compra de um determinado produto ou fazer a assinatura de um serviço, não foi a procura de depoimentos no site ou em algum outro lugar? Como nas redes sociais ou na Internet?

A prova social hoje em dia, se tornou um dos fatores determinantes para que o cliente compre de você (ou não).

Ela é um dos conceitos mais importantes e persuasivos que você pode trabalhar nas suas estratégias de marketing. É através dela que você faz o uso de sinais sociais (Como Comentários, Fotos ou vídeos) para ilustrar, e assim ter uma maior probabilidade de pessoas comprar, consumir, ler e participar mais ativamente da sua oferta.

Isso porque, não é você que está dizendo que a sua oferta é boa, seja como empresa (Pessoa Jurídica) ou como uma pessoa física… mas sim seus próprios clientes!

A ideia da prova social, é fazer com que os seus visitantes fiquem mais propensos a se converterem (se tornarem seus clientes), quando veem que as outras pessoas também estão satisfeitas com o seu produto ou serviço.

Você pode fazer uso de provas sociais através de depoimentos de clientes, depoimentos de influenciadores, tweets incorporados, curtidas no Facebook, estudos de caso e dados sobre os usuários (Quantos já receberam a oferta, enviaram o formulário ou fizeram o download).

Além disso, uma forma de conseguir a credibilidade com suas provas sociais, é garantir que os depoimentos enviados pelos seus clientes estejam em uma linguagem natural e confiável.

Caso for um depoimento escrito (formato de texto), não se esqueça de colocar o nome da pessoa e se possível uma foto da mesma 😉

Dicas para criar uma Landing Page que converte

Agora que você já sabe todos os elementos essenciais que compõe uma Landing Page, chegou a hora de irmos direto ao ponto e ver um pouco mais na prática, como criar uma Landing Page de sucesso.

O esqueleto de uma Landing Page

Imagem que representa o esqueleto de uma Landing Page

Como você viu na imagem anterior, uma Landing Page é composta por alguns elementos, dentro os quais já vimos alguns deles em tópicos anteriores.

Por padrão, uma página de destino é constituída dos seguintes elementos:

  • Título e Subtítulo;
  • Mídia (Imagem ou Vídeo);
  • Oferta (Descrição da oferta e Benefícios);
  • Formulário de Captura;
  • Call To Action, e
  • Prova Social

Confira abaixo, algumas dicas a mais que separamos para você sobre cada um desses elementos.

Tenha um Título e um Subtítulo bem formatos

Como dito anteriormente no tópico que fala sobre “Título e Subtítulo”, eles são a peça fundamental para uma boa conversão.

Eles devem transmitir uma ideia simples e direta, sobre o que seus usuários vão encontrar naquela página.

Já o subtítulo, é a extensão que dá suporte a ideia descrita no título.

Para criar títulos que convertem, aqui vai algumas dicas que você pode usar:

  • Escreva de uma forma que desperte o interesse e a curiosidade dos seus usuários;
  • Coloque palavras que represente a oferta que você está oferecendo (“[E-book]”, “Cupom….”, “Download…”);
  • Faça o uso de chamadas para a ação (Como “Grátis”, “Download”, “Free” e afins);

Estas dicas não são uma regra, e raramente você vai conseguir aplicar todas elas em uma única página de destino.

Faça o uso de imagens (ou vídeos)

Existe um ditado que diz: “Uma imagem vale mais que mil palavras”, e na sua Landing Page isso não poderia ser diferente.

A imagem deve refletir muito bem a proposta de valor que a sua landing page está oferecendo.

Fotos, Infográficos ou imagens animadas (Gifs) são uma ótima forma de representar a sua oferta, principalmente se ela for um arquivo digital, como E-book, Planilhas, Softwares ou um sistema online.

Neste elemento você deve evitar fazer o uso de imagens genéricas ou que vá contra aquilo que você está oferecendo.

Um ótimo exercício que você pode fazer, é visualizar a imagem sem o título e subtítulo da sua página, e ver se mesmo assim a sua oferta ainda está bem legível, ou seja, só com uma imagem, será que meus usuários ainda conseguiriam entender o que esta sendo proposto? Se a sua resposta for sim, use-a.

Um bom exemplo sobre o uso de imagens é imaginar uma Landing Page que oferece uma planilha sobre controle de gastos.

Um mau uso de imagens nessas situações é você colocar a foto de uma planilha diferente daquela que você está oferecendo, ou colocar o ícone do excel, por exemplo. Enquanto na verdade você poderia compartilhar a foto da sua própria planilha.

Claro, existem casos em que isso não é possível ou não fica muito bem, como por exemplo, uma landing page que oferece cupom de desconto em todo site, neste caso você poderia sim, usar um ícone que represente um cupom de desconto ou quem sabe pessoas felizes comprando em uma loja física ou quem sabe usando um computador ou um celular.

Ou seja, tudo depende do quanto você quer engajar as pessoas, e despertar o interesse dos seus usuários.

Agora, se uma imagem vale mais que mil palavras, um vídeo então… vale mais que dez mil imagens? Eis a questão…

Urso de Pelúcia em dúvida... eis a questão...

Vídeos possuem uma alta taxa de conversão comparado com imagens (Isso é obvio). Voltando ao exemplo da planilha do excel de controle de gastos, imagina você colocando um vídeo sobre a utilização dessa planilha – A credibilidade da sua oferta vai ser muito mais efetiva do que colocar imagens contendo algumas partes da sua planilha.

Tenha uma oferta clara e objetiva

Quanto melhor forem os textos, os benefícios e os recursos que a sua oferta oferece, mais você conseguira vender bem a ideia.

Neste elemento foque em ser direto ao ponto e sem rodeios, faça uso de frases curtas, pontue elementos importantes da sua oferta e que sejam relevantes para os seus usuários.

Faça seus visitantes executarem uma ação

Aqui entra o famoso Call-To-Action, conhecido como “Chamada para ação”, que pode ser desde um simples botão de “Faça Download Agora”, curtidas em uma página nas redes sociais, envio e formulários e afins.

Toda Landing Page deve possuir uma chamada para realizar a ação de obter a oferta que está sendo oferecida.

Tenha em mente que quanto mais passos (mais ações) você pede para os seus usuários executarem, menores serão as suas taxas de conversão, e maiores serão suas taxas de desistência.

Tenha um formulário de captura

Qualquer landing page possui um formulário de captura, aonde você coloca seus dados para ter acesso a uma oferta.

É basicamente no formulário que acontece a conversão, de um simples usuário (visitante) em um possível lead.

Na verdade, tudo é baseado em troca, raras são aquelas landing pages que não possuem um formulário de captura, até porque a ideia das páginas de destino sempre foi oferecer uma oferta, visando o contato daquele usuário, para que no futuro, você possa entrar em contato com ele para oferecer outras ofertas.

O formulário de captura geralmente pede algumas informações em troca como:

  • Nome e Sobrenome (Para mais tarde enviar uma mensagem personalizada para esta pessoa, chamando-a pelo nome);
  • E-mail (Para entrar em contato futuramente);
  • Telefone (Caso você queria ligar para esta pessoa);
  • Teste de Segurança (Famosos “Captcha”, “Não sou robô”, “quanto é 7 + 9” e etc);

Geralmente pede-se o telefone, quando a oferta é algo relacionado a algo mais aprofundado que requer um contato mais pessoal – Para esses casos a chamada para ação costuma ser um botão como: “quero saber mais”, “quero ser contatado” ou “fale com um consultor”.

Além disso, você pode pedir outras informações que sejam de relevância para você. No caso de uma landing page que oferece uma planilha de controle de gastos, por exemplo, uma ótima opção seria a criação de um campo que pergunte ao usuário: “Como você pretende usar esta planilha”, e com isso deixar algumas opções pré-estabelecidas como “Uso pessoal”, “Na minha empresa”, “Educativo” e entre outros.

Cuidados que devemos tomar com nossas landing pages

Antes de lançar a sua landing page, você tem que tomar alguns cuidados, e neste tópico falaremos quais são os principais cuidado que você deve tomar com suas landing pages.

Responsividade

O primeiro ponto que iremos entrar é sobre a responsividade de uma landing page, mas o que isso quer dizer?

Responsividade, ou também conhecido na web como Design Responsivo, é capacidade que uma determinada página tem para se adaptar a qualquer tipo de resolução de tela.

Ou seja, é aquela página que consegue ficar perfeita tanto nos computadores de mesa (desktop) quanto nos dispositivos móveis (celulares) ou televisores (Ultrawide, 2k, 4k, 8k…).

Quando dizemos que um determinado site é responsivo, ele geralmente:

  • Não tem uma barra de rolagem na horizontal;
  • E o seu usuário não precisa ficar dando zoom na tela para visualizar alguns elementos;

Uma Landing Page essencialmente deve ser montada de uma forma responsiva, que se adeque a qualquer tipo de tela que o seu usuário esteja usando.

URL Amigável

O segundo ponto de uma landing page, é fazer o uso de uma url amigável.

Vamos imaginar que temos duas landing pages praticamente iguais (mesmo conteúdo, mesmo título, imagens e afins). Só que com um pequeno porem, a primeira landing page precisa ser acessada pelo seguinte endereço:

  • Olyng.com/minha-landing-page

Já a segunda página, precisa ser acessada por:

  • Olyng.com/paginas?id=21222&&type=C32

Qual das duas Urls você acredita que os usuários teriam a maior chance de clicar?

Bem… para um usuário leigo que não tem muito afinidade com a internet, ele pode pensar que a segunda url é um link estranho e suspeito (podendo até pensar que é algum tipo de vírus).

Já a primeira url é mais natural e chamativa, olhando para ela, você já consegue entender do que a página se trata, e o conteúdo que você vai encontrar.

Consegue entender a diferença? Uma Url amigável costuma ser simples e feita de uma forma organizada, o que faz com que os usuários, consigam entender sobre o que a página se trata antes mesmo deles entrarem nela.Urls amigáveis passam mais profissionalismo e credibilidade aos usuários.

Página de Agradecimento (Thank You Page)

Exemplo de uma página de agradecimento (thank you page)

Depois que seus usuários foram atraídos pela sua oferta, entram na página e realizam todas as etapas, nada melhor que dar a estas pessoas aquilo que elas realmente precisam e estão buscando.

Thank You Page, é conhecida como a última etapa do processo de conversão de um mero visitante em um lead.

Isso quer dizer que quando uma pessoa cai em uma página de agradecimento, ela já passou por todas as etapas do processo, e você como empresa já possui dados como nome e o e-mail dessa pessoa, ou qualquer outra informação que você pediu sobre ela.

É na página de agradecimento que iremos suprir as expectativas do nosso usuário – Nesse momento a sua empresa deve agradecer o interesse do lead, e dizer a ele o que irá acontecer a seguir, podendo ser um “Clique aqui para fazer o download”, “Verifique seu e-mail para receber o material” ou ainda “Você receberá uma ligação de um dos nossos consultores em breve”. Uma maneira interessante de manter o seu lead engajado, é colocar no final de uma Thank You Page, links para novas ofertas, como podemos ver na imagem abaixo:

Exemplo de uma página de agradecimento (thank you page), só que no final dá página aparece outros links para ofertas relacionadas

Caso você for oferecer links para outras ofertas, tenha em mente que os outros materiais devem estar correlacionados com aquilo que você ofereceu anteriormente.

Ou seja, se eu ofereci uma planilha de controle de gastos, eu poderia colocar outros links que levem para landing pages que ofereçam outros tipos de planilhas financeiras como: planilha de fluxo de caixa, planilha de despesas e entre outras – percebe que elas possuem uma correlação com a planilha de controle de gastos?

Link de Download ou Link no E-mail?

Quando falamos de produtos digitais como cupons, vídeos, e-books, demo de produto etc, é normal levantarmos a seguinte questão: “Será que eu devo oferecer o meu produto na página de agradecimento ou seria melhor envia-lo por e-mail?”

Existem prós e contras em oferecer a sua oferta no exato momento em que o seu visitante se torna um lead, vejamos abaixo um comparativo entre eles.

Link de Download

É a maneira mais rápida de se oferecer a sua oferta, e envolve menos passos do que seria se você como lead tivesse que acessar o seu e-mail para baixar o conteúdo.

Como nem tudo são flores, pode ser que o seu usuário tenha informado dados falsos para obter a sua oferta. E nesse tipo de ocasião, o visitante vai baixar o seu conteúdo, mas no futuro você não conseguirá entrar em contato com ele.

Prós: Maneira rápida de obter o que está sendo ofertado; Evita que o seu lead execute mais passos para obter a sua oferta;

Contras: Seus visitantes podem informar dados falsos;

E o que leva as pessoas a colocarem dados falsos em formulários de captura?

Geralmente, as pessoas fazem isso na tentativa de evitar o recebimento de spam ou com medo do seu e-mail cair em um diretório de e-mails (aonde qualquer um pode ter acesso).

Como posso evitar isso?

  • Enviar o link por e-mail;
  • Adicionar a mensagem: “Não enviaremos spam” ou “Não compartilharemos o seu e-mail”.
Link no E-mail

Considerada a forma mais segura de enviar a sua oferta, você garante que o seu visitante informou os dados corretamente. E mesmo que ele não tenha informado, ele é “obrigado” e reenviar o formulário com as informações certas, isso é, caso ele ainda queria receber a oferta.

Por vezes a sua oferta pode acabar caindo na caixa de spam, ir diretamente para a lixeira ou quem sabe não chegar na caixa de e-mail do seu lead – Isso depende exclusivamente do seu serviço de entrega de e-mails –, o que pode causar uma frustração no seu usuário.

Prós: Forma segura de garantir que o visitante não informou dados falsos; O link para a oferta sempre estará salvo no e-mail do usuário;

Contras: Requer que o seu lead execute mais passos (“Agora que você informou seus dados, acesse o seu e-mail para pegar a oferta”); Podem haver raros casos em que o e-mail da oferta não chegue na caixa de entrada do seu lead, ou vá para a lixeira/spam.

E Agora como Posso Divulgar a Minha Landing Page?

Diversos são os canais que você pode usar promover a sua própria landing page, e gerar mais leads para a sua empresa.

Confira a lista dos principais canais a seguir.

E-mail Marketing

O uso do e-mail marketing é a forma mais simples de divulgar e promover a sua landing page com a sua base de clientes.

Tenha em mente que você precisa ter uma base de clientes para fazer campanhas de e-mail marketing – Evite comprar lista de e-mails, elas costumam ser um tiro no pé.

Site e Blog

Você pode aproveitar o trafego existente no seu site ou no blog para divulgar os links da sua Landing Page.

Isso pode ser feito tanto nos seus arquivos quanto na página principal do seu blog.

É comum encontrar links de landing pages dentro dos textos de algum artigo. Mas lembre-se de que o link da sua landing page, deve possuir uma relação com o conteúdo. Por exemplo, um artigo que fala sobre “Como controlar os gastos da sua empresa”, no conteúdo, você pode colocar um link que vai para uma landing page, que fala sobre um e-book de controle de gastos.

Redes Sociais

Faça uso das redes sociais em que a sua empresa está presente e tem uma página/conta.

Plataformas como Facebook, Linkedin, Google +, Twitter, Instagram…, com toda certeza, existem pessoas que irão se interessar pela sua oferta.

Explore as opções que as redes sociais te dão, poste em grupos, no status (stories no caso do instagram) e até na fan page da sua empresa quem sabe rs

Mídias Pagas

Plataformas como Google Ads e Facebook Ads, podem ajudar muito no impulsionamento do seu negócio, trazendo visitantes qualificados para a sua landing page.

Quando você coloca a sua landing page no ar, dificilmente ela vai aparecer nas primeiras posições dos buscadores (Google Principalmente), e fazer o uso de uma mídia paga nesse primeiro momento, te ajudaria a alavancar a quantidade de leads, ao contrário de ter que esperar a sua página ficar nas primeiras posições, para começar a conseguir os primeiros leads.

Conclusão

Landing Pages são uma ótima forma de gerar mais oportunidades para o seu negócio, tornando-a indispensável nas principais estratégias de marketing digital.

Para que ela atinja o seu objetivo, é essencial que você aplique todas as dicas e estratégias que vimos neste artigo, que com toda certeza, no final das contas você terá uma landing page aonde as pessoas estarão mais dispostas a trocar informações em busca da sua oferta 😉

Escrito por William Lima - 14 de Maio de 2019 - 632 Views

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of